EuroSofia é um espaço de reflexão e de edição de textos

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela

Início EuroSophia Filosofia Filósofos Glossário Os meus livros/eBooks

Contactos

 
René Descartes
 

Filósofo e cientista francês (1596 -1650), nasceu no seio de uma família nobre e abastada. Estudou no colégio dos Jesuítas de la Flèche, desde 1604 até 1612: aprendeu humanidades clássicas, matemática e física, filosofia escolástica. O facto de ser senhor de uma fortuna considerável, permitiu-lhe que dedicasse a sua vida ao estudo, à ciência e à filosofia. É considerado o pai da filosofia moderna. Morreu em 1650, em Estocolmo. 
Seduzido, em primeiro lugar pela carreira das armas, Descartes passa a maior parte da sua vida na Holanda (de 1628 a 1649), preocupado em se pôr ao abrigo das perseguições da Igreja. Depois da Holanda, Alemanha e Itália regressa a França. Convidado, entretanto, pela rainha Cristina vai para a Suécia. Caprichosamente, ela queria lições diárias, que só podia receber às cinco da manhã. O frio intenso acabou por lhe agravar o estado de saúde, já débil, ocasionando-lhe a morte.

Filósofo clássico por excelência e símbolo, para muitos, do espírito de todo um povo, ele, de facto, impõe à nossa cultura um estilo de pensamento que pugna por "ideias claras e distintas", atingíveis pela reflexão filosófica que, com isso, se libertarão de toda a autoridade (religiosa ou política), cimentando assim a prática da "meditação pessoal". O seu racionalismo é, por princípio, fundado sobre a certeza de que todo o espírito bem conduzido pode elevar-se ao conhecimento da verdade. Pondo em causa todo o saber adquirido, Descartes vai chegar a uma certeza indubitável, a da sua existência como ser pensante: "Penso, logo existo". A partir dessa certeza procura reconstruir o edifício do saber, guiado pelo ideal de uma ciência universal cujos conteúdos principais pudessem ser deduzidos das ideias inatas, de que as três principais correspondem às três substâncias: Deus, a alma e o mundo.

Como cientista, é o pai da matemática moderna. Com efeito, lançou as base da geometria analítica, isto é, da aplicação da álgebra à geometria, abrindo caminho à elaboração do cálculo diferencial e integral. Descartes escreveu em latim, como quase todos os pensadores do seu tempo, mas escreveu também em francês. Foi um dos primeiros a escrever sobre filosofia em língua vulgar. Não se limitou à filosofia, escreveu obras fundamentais sobre matemática, física e uma extensa correspondência.

As sua principais obras são: o Discurso do Método (1637); Dióptrica, os Meteóros e a Geometria, também em 1937; Meditações Metafísicas (1641); Princípios da Filosofia (1644); Tratado das Paixões da Alma (1649); Regras para a Direcção do Espírito (1701), publicadas depois da sua morte.

 
 

TEXTOS

Agostinho e o retiro de Cassicíaco

 
Felicidade e conduta humana
 
A exigência do rigor reflexivo
 
A natureza humana
 

EDUCAÇÃO/ENSINO

Disputatio International Journal of Philosophy

Encyclopédie de la philosophie

Educação

Ensino da filosofia

Erasmus

Estudo da filosofia

Filosofia (Prog. ens. secundário)

Filosofia (Discip. ens. superior)

Filosofia (textos)

Filósofos (biografias breves)

Glossário

Philosophie & religion

Stanford Encyclopedia of Philosophy

 

CONSULTA ÚTIL

Ciberdúvidas

Amnistia Internacional

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Lusofonia (CPLP)

ONU

UNESCO

União Europeia

 

ARQUIVO

Pensamentos

Provérbios

Sabia que...

Sete sábios da Grécia, Os

 

 
© 2003-2019 www.eurosophia.com - Todos os direitos reservados Webmaster: arb.pinela@sapo.pt
Sobre o autor dos textos Última actualização: 16/03/19
Utilização de texto

Contacto