EuroSofia é um espaço de reflexão e de edição de textos

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela

Início EuroSophia Filosofia Filósofos Glossário Os meus livros/eBooks

Contactos

 

Georg Wilhelm Friedrich Hegel

 

Hegel, filósofo alemão (1770-1831), nasceu em Estugarda, no mesmo ano em que nasceram Hölderlin e Beethoven. Em Tubinga, onde foi estudante na universidade protestante, foi condiscípulo do poeta Hölderlin e do filósofo Schelling, com quem compartilhou os entusiasmos românticos da Revolução Francesa e o interesse pela Antiguidade Grega. Em 1793, deixa Tubinga e vai como preceptor para Berna (1793-1796). Ensinou na universidade de Francoforte a partir de 1797, depois em Jena a partir de 1800, onde se encontrava Schelling. Mais tarde enfrentou sérios problemas pessoais e dificuldades económicas. Entrou em ruptura com Schelling. Abandonou Jena. E a partir de 1808 é director e professor de filosofia do Ginásio de Nuremberga. Em 1816, Hegel transfere-se para a Universidade de Heidelberg. No ano seguinte, muda-se para a Universidade de Berlim, onde chega ao seu pleno profissional, ocupou a cátedra de filosofia de Berlim, substituindo Fichte. E aqui veio a falecer.
Influenciado pela Revolução Francesa, os escritos de Rousseau e a ética de Kant, Hegel procurou elaborar um sistema da ciência total em que tudo estivesse englobado e explicado, tendo como método, e simultaneamente seu desenvolvimento, a dialéctica. 
As sua primeiras reflexões são extremamente concretas: assentam sobre  o judaísmo e o cristianismo, e testemunham preocupações religiosas e históricas. O que o interessa é descobrir o espírito de uma religião ou de um povo, é criar  novos conceitos, aptos a traduzir a vida histórica do homem e sua existência num povo ou na sua história. Este pensamento da vida constitui a matéria da Fenomenologia, que descreve a história da consciência desde a participação sensível no mundo, «aqui e agora», até ao saber absoluto, passando por todas as experiências que pode conhecer da alma humana.
Hegel tinha uma influência considerável. A sua filosofia deu lugar a duas interpretações: a primeira funda-se sobre a Lógica e considera o saber absoluto como o fim último de toda a história humana; Hegel apresenta-se, então, como um pensador especulativo, de inspiração religiosa. A segunda funda-se sobre a Fenomenologia, e considera que o problema fundamental é o da realização da humanidade em nós e do humanismo na história. Deste ponto de vista, a profunda originalidade de Hegel é  ter sido o primeiro a pensar as realidades sociais e espirituais e, deste modo, tornado possível Feuerbach e Karl Marx.
As primeiras obras  de Hegel são extremamente concretas e sugestivas (Vida de Abraão, Vida de Jesus). A Fenomenologia do Espírito e a Lógica requerem, em compensação, uma formação filosófica mais exigente.
No período em que estava em Jena, destacam-se dois escritos: e Saber e um importante artigo sobre a Diferença dos Sistemas de Fichte e de Schelling (1801). A primeira grande obra: a Fenomenologia do Espírito, data de 1807. Em Nuremberga, onde ensina, nascerá outra obra fundamental do seu pensamento, Ciência da Lógica (em dois volumes que são publicados em 1812 e em 1816). Um ano mais tarde publica a sua Enciclopédia das Ciências Filosóficas (1817). Na Enciclopédia distingue três partes que constituem a totalidade do seu sistema: lógica (estudo da ideia no seu ser em si e para si), filosofia da natureza (estudo da ideia no seu ser fora de si) e filosofia do espírito (a ideia dentro de si, no regresso a si mesmo). Obra de grande influência é também Princípios da Filosofia do Direito (1821). Outras obras (póstumas), recolhidas a partir das suas lições (de Berlim), que têm relevante interesse são: as Lições sobre a História da Filosofia, as Lições sobre a Filosofia da História Universal e as Lições sobre Filosofia da Religião.

 
 

TEXTOS

Agostinho e o retiro de Cassicíaco

 
Felicidade e conduta humana
 
A exigência do rigor reflexivo
 
A natureza humana
 

EDUCAÇÃO/ENSINO

Disputatio International Journal of Philosophy

Encyclopédie de la philosophie

Educação

Ensino da filosofia

Erasmus

Estudo da filosofia

Filosofia (Prog. ens. secundário)

Filosofia (Discip. ens. superior)

Filosofia (textos)

Filósofos (biografias breves)

Glossário

Philosophie & religion

Stanford Encyclopedia of Philosophy

 

CONSULTA ÚTIL

Ciberdúvidas

Amnistia Internacional

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Lusofonia (CPLP)

ONU

UNESCO

União Europeia

 

ARQUIVO

Pensamentos

Provérbios

Sabia que...

Sete sábios da Grécia, Os

 

 
© 2003-2019 www.eurosophia.com - Todos os direitos reservados Webmaster: arb.pinela@sapo.pt
Sobre o autor dos textos Última actualização: 16/03/19
Utilização de texto

Contacto