A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A B Pinela

Início EuroSophia Filosofia Filósofos Glossário Contacto Os meus livros/eBooks
 

Immanuel Kant

 

Filósofo alemão (1724-1804), originário de uma família numerosa e de condição humilde. Seu pai era correeiro. Aos 13 anos perdeu a mãe, da qual recebeu uma cuidada educação moral e religiosa, de orientação pietista. Frequentou o Collegium Fridericianum, de 1732 a 1740, onde reforçou a formação religiosa e moral, e adquiriu conhecimentos das línguas clássicas e da literatura latina. Ingressou, em 1740, na  Universidade de Königsberg, onde estudou Filosofia, Teologia, Moral, Lógica e Física. Nesta altura, o professor Martin Knutzen pôs à sua disposição a sua biblioteca particular e deu-lhe a conhecer a mecânica de Newton. Perdeu o pai em 1746, o que o obrigou, devido a carências financeiras, a abandonar a Universidade e a exercer durante cerca de oito anos o lugar de preceptor, enquanto preparava o doutoramento. Homem profundamente religioso, moderado de costumes, metódico, benévolo, diz-se que apenas saiu uma vez de Königsberg, a sua cidade natal. Regressou a Königsberg, em 1755, e obtém o doutoramento com a dissertação latina: Meditationum quorundam de igne succinta delineatio (Esboço sumário de algumas meditações sobre o fogo). Em 1755, iniciou a docência na Universidade de Königsberg. Ensinou durante 40 anos Filosofia, Geografia, Antropologia, Pedagogia e Matemática.  A sua vida foi inteiramente consagrada ao estudo, ao ensino e à meditação, é o fundador da filosofia crítica (o criticismo).
Em 1766, começou a análise da metafísica como ciência. Em 1970 lançou as bases do criticismo, que posteriormente sistematizou nas Críticas. O iluminismo, entendido por ele como a saída do homem da menoridade, o empirismo de Hume, que o «despertou do sono dogmático», e a ciência newtoniana servem de fundamento à sua filosofia crítica. Kant nutria uma profunda simpatia pelos ideais da independência americana e da Revolução Francesa. Foi pacifista, anti-militarista convicto.
Obras principais: Crítica da Razão Pura (1781), Prolegómenos a Toda a Metafísica Futura que se Poderá Apresentar como Ciência (1783), Fundamentos da Metafísica dos Costumes (1785), 2.ª edição da Crítica da Razão Pura  (1785), Crítica da Razão Prática (1788), Crítica da Faculdade de Julgar (1793), A Religião dentro dos Limites da Simples Razão (1793) e Metafísica dos Costumes (1797).

 
 

LIVROS/EBOOKS

 

Horizontes da Filosofia

 
Para que serve a Filosofia
|

Organização e Desenvolvimento Curricular

(Est. universitários, professores)

 

A Fundamentação Metafísica da Esperança em Gabriel Marcel

|

Como Organizar Um Trabalho Escolar

(ens. secundário, universitário)

 
Vergílio Ferreira e o Existencialismo
 

Ciências da Educação: Glossário

 

A Razão Universal em Álvaro Ribeiro

!

Rousseau denuncia as causas das desigualdades

|

A felicidade segundo Santo Agostinho

|

Felicidade e Natureza Humana Segundo David Hume

 

EDUCAÇÃO/ENSINO

 
Disputatio International Journal of Philosophy
Encyclopédie de la philosophie
Educação

Ensino da filosofia

Erasmus
Estudo da filosofia

Filosofia (Prog. ens. secundário)

Filosofia (Discip. ens. superior)

Filosofia (textos)

Filósofos (biografias breves)

Glossário
Philosophie & religion
Stanford Encyclopedia of Philosophy
 

CONSULTA ÚTIL

 
Ciberdúvidas

Amnistia Internacional

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Lusofonia (CPLP)

ONU

UNESCO

União Europeia

 

ARQUIVO

 

Pensamentos

Provérbios

Sabia que...

Sete sábios da Grécia, Os

 
© 2003-2018 eurosophia.com - Todos os direitos reservados Utilização de textos

Contacto

EuroSofia é um espaço de reflexão e de edição de textos

Última actualização: 06/03/18