Philos + Sophia = Philosophia
 
 

Espaço de reflexão e de edição de textos de filosofia

 
 

A Filosofia é uma concepção do mundo e da vida, é amor pela sabedoria, é reflexão crítica e investigativa do conhecimento e do ser. António A. B. Pinela

 

Início EuroSophia Filosofia Filósofos Educação Glossário Ajuda Contacto Utilização de textos
 

Que é a filosofia?A filosofia e os filósofos, O ensino da filosofiaO estudo da filosofiaPara que serve a filosofia. Mais

 
   

Friedrich Nietzsche

 

Filósofo alemão (1844-1900), os seus avós e pai foram pastores protestantes, enquanto que ele é profundamente ateu. Mas recebe uma sólida formação humanista. Estudante em Bona e em Leipzig, Schopenhaer e Wagner foram seus guias espirituais; professor na universidade de Basileia (1869 a 1880), onde é nomeado catedrático com 24 anos. Renuncia à cátedra por motivos de saúde: com terríveis dores de cabeça. A partir de então viaja muito: Riva, Génova, Sicília, Rapallo, Sils-Maria, Turin, etc. A sua vida torna-se austera, encontrando-se em profunda solidão.
As dores tornaram-se cada vez mais frequentes e insuportáveis. E começa um período cheio de extravagâncias. A loucura está próxima. É então que um dos poucos amigos que lhe resta, senão o único, fá-lo internar numa clínica psiquiátrica de Basileia, em 1889. É-lhe diagnosticada uma lesão cerebral. Morreu louco, em 25 de Agosto de 1900.
Nietzsche recusou os valores culturais existentes, representados pelo cristianismo e os sistemas que preconizavam a igualdade entre os homens, arvorando o seu protótipo, o «super-homem», criador da essência e de vidas adequadas à sua estirpe ou classe.
A recusa da moral cristã, ou «moral dos escravos», bem como o seu entusiasmo pela vida foram princípios invariáveis da sua filosofia. A sua investigação, direccionada para uma síntese entre o mundo dionisíaco dos desejos e o mundo apolíneo da sabedoria, marca também o seu pensamento. O esforço da sua moral vai no sentido de sair do pessimismo mais profundo, mas reconhecendo todas as experiências negativas, as «desgraças» que a vida pode reservar ao homem: a sua máxima era «fazer com o desespero a mais profunda esperança, a mais invencível», graças a um heróico esforço da vontade e da imaginação.
Obras importantes: A Origem da Tragédia (1872), Considerações Intempestivas (1873-76), Humano, Demasiado Humano, (1878), A Gaia Ciência (1881), Assim Falava Zaratustra (1885), Para Além do Bem e do Mal (1886), A Genealogia da Moral (1887), Anticristo, Ecce Omo (1888), O Crepúsculo dos Ídolos (1889).

 
 

LIVROS / EBOOKS

 

FILOSOFIA

 

Para que serve a filosofia

A Fundamentação Metafísica da Esperança em Gabriel Marcel

Vergílio Ferreira e o Existencialismo

A Razão Universal em Álvaro Ribeiro

A Felicidade Segundo Santo Agostinho

A desigualdades entre os homens segundo Rousseau

Felicidade e Natureza Humana Segundo David Hume

 

EDUCAÇÃO

 

Organização e Desenvolvimento Curricular

Como Organizar Um Trabalho Escolar

Ciências da Educação: Glossário

 

ARQUIVO

 

O pensamento mítico

Pensamentos

Programas de Filosofia (10.º, 11.º e 12.º anos) V

Provérbios

Sabia que...

Os Sete sábios da Grécia

 
© 2003-2016 EuroSophia.com - Todos os direitos reservados Utilização de textos
EuroSofia é um espaço de reflexão e de edição de textos Última actualização: 01/01/16

Contacto